Notícias

11h17

Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF)

Compartilhe
Tamanho do Texto
Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF)

A punção aspirativa com agulha fina (PAAF) é um método ambulatorial, utilizado para o diagnóstico de lesões nodulares em órgãos superficiais e profundos. O objetivo é diagnosticar lesões expansivas (nodulares) localizadas em órgãos superficiais;

Órgãos superficiais mais frequentemente submetidos à PAAF:

Tireoide;

Linfonodos (a punção de linfonodos cervicais é bastante utilizada para o diagnóstico de metástases, de carcinoma da tireoide, previamente diagnosticado; nesses casos, é realizada, também, a dosagem de tireoglobulina e/ou calcitonina, a partir do material aspirado, diluído em soro fisiológico);

Paratireoides (em pacientes com quadro de hiperparatireoidismo; nesses casos, é realizada, dosagem de PTH, a partir do material aspirado, diluído em soro fisiológico);

Glândulas salivares (parótidas; submandibularese glândulas salivares menores);

Mamas.

Observação: Em alguns casos, utilizando-se a mesma metodologia, também é obtido material para a confecção de emblocado celular (“cell-block”) e análise imuno-histoquímica complementar.

Metodologia:

*Execução ambulatorial;

*Sem aplicação de anestésico;

*Direcionamento da agulha com auxílio de ultrassonografia;

*Tempo médio para a execução do procedimento: vinte minutos.

*Intercorrências:

*Trata-se de método extremamente seguro, isento de complicações dignas de nota.

*Eventualmente pode ocorrer:

Reação da glândula tireoide ao trauma provocado pela agulha; caracteriza-se por aumento da glândula devido ao edema decorrente do processo de tireoidite traumática; detecta-se na hora, através do exame ultrassonográfico, e o processo regride com o resfriamento local;

Sangramento subcutâneo local; o hematoma decorrente é discreto e desaparece com tratamento local;

Para evitar esse tipo de intercorrência, procede-se o resfriamento do local da punção, por pelo menos uma hora, antes da realização do procedimento.

 

Precisão diagnóstica:

*Quando realizado de maneira padronizada a especificidade e a sensibilidade diagnósticas são muito elevadas;

*Uma amostra rica propicia a eliminação, quase que completa, de diagnósticos indeterminados.

*A patologia nodular da tireoide:

Fala-se em ‘epidemia’ de doença nodular tireoidiana; entretanto, é preciso cautela ao lidar com essa glândula, que produz hormônios responsáveis pelo controle do nosso metabolismo, com influência no humor, na memória, na concentração, no raciocínio, no desempenho físico e evitar, especialmente, abordagens cirúrgicas desnecessárias.

Os nódulos em tireoide, podem estar associados à doença tireoidiana autoimune (tireoidite), podem ser esporádicos (sem causa definida) ou podem ser de origem neoplásica, muitas vezes associados a uma predisposição genética (familiares com o mesmo tipo de problema).

Na grande maioria dos casos, a patologia nodular da tireoide não está associada a alteração na função da glândula.

A probabilidade de um nódulo tireoidiano ser maligno é baixa: de 5 a 10% dos casos.

Uma vez detectado o nódulo tireoidiano, a partir de dados clínico-ultrassonográficos, o paciente poderá ou não ser candidato à punção aspirativa com agulha fina.

Caso haja indicação clínica, o paciente será submetido à punção aspirativa com agulha fina (PAAF).

 

A Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF)

Considerada o padrão ouro no diagnóstico preciso da lesão nodular tireoidiana, a PAAF deve ser indicada, segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, em casos de nódulos acima de 1 cm de diâmetro, que apresentem determinadas características ultrassonográficas; há exceções para essa regra.

Para o médico anatomopatologista Luciano Espinheira Fonsêca Júnior, responsável pelo serviço de PAAF do Labchecap, a abordagem da patologia nodular da tireoide deve ser multidisciplinar, envolvendo sempre os dados clínicos do paciente, associados aos dados ultrassonográficos, epidemiológicos e citopatológicos.

“Entretanto, em nossa experiência, é elevada a prevalência de micro carcinomas, ou seja, nódulos neoplásicos malignos, menores que 1,0cm de diâmetro. Deve ser levado em consideração, o fato de que um processo neoplásico detectado precocemente, eleva muito a chance de o paciente ser portador de uma doença restrita à glândula, sem disseminação para linfonodos e com prognóstico extremamente favorável.”

 

O Serviço de Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF) do Labchecap, Pituba, é dotado de um microscópio para a prática de dupla observação, de todos os casos considerados POSITIVOS PARA CÉLULAS NEOPLÁSICAS, conferindo uma abordagem diagnóstica consensual, entre os membros do Serviço.

 

 

Dr. Luciano Espinheira Fonsêca Júnior

*Graduação em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

*Residência Médica em Anatomia Patológica, pelo Hospital Universitário Professor Edgard Santos, UFBA.

*Mestrado em Patologia Humana, UFBA.

*Doutorado em Patologia Humana, UFBA.

*Título de Especialista em Anatomia Patológica, pela Sociedade Brasileira de Patologia.

*Título de Especialista em Citopatologia, pela Sociedade Brasileira de Citopatologia.

*Especialização em Patologia da AIDS, pelo Armed Forces Institute of Pathology, Washington, DC, EUA

*Especialização em Patologia dos Transplantes Renal e Hepático, pela University of Pittsburgh Medical Center, EUA.

*Especialização em Neuropatologia pelo Ospedale San Raffaele, Milão, Itália.

*Especialização em Neuropatologia pela Università di Roma, La Sapienza, Itália. *Professor Associado IV, Doutor, Departamento de Anatomia Patológica e Medicina Legal da Faculdade de Medicina da UFBA.

 

Dr. Anderson Fernando Mocellin Bortoncello

*Graduação em Medicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

*Residência Médica em Anatomia Patológica pelo Hospital Universitário Professor Edgard Santos / Universidade Federal da Bahia (UFBA).

*Estágio de Punção Aspirativa por Agulha Fina e Citologia Oncótica pelo Hospital Universitário Professor Edgard Santos (4 anos).

*Estágio de Punção Aspirativa por Agulha Fina e Citologia Oncótica pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) (2 meses).

*Estágio em Neuropatologia, Uropatologia e Patologia Torácica pela Università di Roma, La Sapienza (4 meses).

*Curso de Ultrassonografia de Tireoide, Cervical e Glândulas Salivares com Biópsia, pela CETRUS.

*Médico anatomopatologista do CEDEBA (Centro de Diabetes e Endocrinologia do Estado da Bahia).

Siga o Labchecap nas redes sociais
Deseja marcar seus exames e/ou vacinas?
Clique no botão ao lado.
Certificações e Acreditações
Controllab
Controllab
PNCQ
PNCQ
PALC
PALC
Sistema Nacional de Acreditação DICQ
Sistema Nacional de Acreditação DICQ
ISO 9001
ISO 9001
Call center
Salvador e região metropolitana: 71 3345.8200
Segunda à sexta 6:30h às 19h.
Sábado 6:30h às 14h
Feira de Santana e Alagoinhas 4020.8880
Segunda à sexta 6:30h às 19h.
Sábado 6:30h às 14h
Call center domiciliar: 71 3345.8200
Segunda à sexta 6:30h às 17h.
Sábado 6:30h às 13h.
Diretor Técnico Laboratorial : Dr. Josemar Fonseca - CRF 1290.
Diretora Técnica SEIMI: Dra. Ceuci Nunes - CREMEB 8876 - RQE 3124
Diretor Técnico Imagem : Dr. Valter Ribeiro - CREMEB 23543 - RQE 14979.
Diretora Operacional : Dra. Vanda Regina de Oliveira Baqueiro - CRF 1987
2021 - 2022. Labchecap. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo - Agência Digital

Usamos cookies para armazenar informações sobre como você usa o nosso site e as páginas que visita. Tudo para tornar sua experiência a mais agradável possível. Para obter mais informações, consulte a nosso política de privacidade e nossa política de cookies. E para entender os tipos de cookies que utilizamos, clique em Opções. Ao clicar em Aceito, você consente com a utilização de cookies.

Aceito Opções

Definições

Queremos ser transparentes sobre os dados que nós e os nossos parceiros coletamos e como os utilizamos, para que você possa controlar melhor os seus dados pessoais. Para obter mais informações, consulte a nossa política de privacidade e nossa politíca de cookies.

O que são cookies?

Cookies são arquivos salvos em seu computador, tablet ou telefone quando você visita um site.

Usamos os cookies necessários para fazer o site funcionar da melhor forma possível e sempre aprimorar os nossos serviços.

Alguns cookies são classificados como necessários e permitem a funcionalidade central, como segurança, gerenciamento de rede e acessibilidade. Estes cookies podem ser coletados e armazenados assim que você inicia sua navegação ou quando usa algum recurso que os requer.

Gerenciar preferências de consentimento

Utilizamos softwares analíticos de terceiros para coletar informações estatísticas sobre os visitantes do nosso site. Esses plugins podem compartilhar o conteúdo que você fornece para terceiros. Recomendamos que você leia as políticas de privacidade deles.

Bloquear / Ativar
Google Analytics
Necessário

São aqueles que permitem a você navegar pelo site e usar recursos essenciais, como áreas seguras, por exemplo. Esses cookies não guardam quaisquer informações sobre você que possam ser usadas em ações de comunicação de produto ou serviço ou para lembrar as páginas navegadas no site.

Bloquear / Ativar
Google Fonts
Necessário
Google Maps
Necessário

Os plugins são usados ​​para rastrear visitantes em websites. A intenção é exibir anúncios relevantes e atraentes para o usuário individual e, portanto, mais valiosos para editores e anunciantes terceirizados.

Bloquear / Ativar
Facebook Pixel
Recomendado